Endereço: 

Praça Santos Andrade, 50 - Térreo - Centro
CEP 80.020-300
Curitiba - PR - Brasil

OFICINAS:

As oficinas serão realizadas no Campus III da Faculdade SECAL - R. Júlio de Castilho, 642 - Centro.

**Exceto a Oficina Especial do dia 10/11 que ocorrerá na Sede da OAB/PR Subseção Ponta Grossa

Rua Doutor Leopoldo Guimarães da Cunha, 510 - Oficinas, Ponta Grossa

OFICINAS: Dia 08/11 - Quarta-Feira

1.Prof. MSc. João Paulo Vieira Deschk:  Aspectos econômicos do direito empresarial  

 

A oficina tem como objetivo analisar questões do direito empresarial sob a perspectiva econômica, possibilitando aos alunos a instrumentalização de conceitos, métodos e princípios da economia, aplicados ao direito empresarial e da concorrência.

João Paulo Vieira Deschk é Doutorando em Direito do programa de Doutorado do UNICEUB - Centro Universitário de Brasília. Mestre em Direito Empresarial e Cidadania pelo Centro Universitário Curitiba - UNICURITIBA; Especialista em Direito Empresarial Contemporâneo pelo CDE - Cescage(2007); Bacharel em Direito pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (2005). Professor e Membro do NDE do curso de Direito das Faculdades SECAL - Ponta Grossa. Assessor de Gabinete da Procuradoria Geral do Município de Ponta Grossa. Advogado

 

A oficina ocorrerá pela manhã, das 9 às 11 horas

2. Prof. MSc. Fabiano Soares e Prof. MSc. James Kava: Redução de Danos

 

A oficina de redução de danos tem como objetivo apresentar um conjunto de políticas públicas e práticas, que visam é reduzir os danos associados ao uso de drogas psicoativas em pessoas que não podem ou não querem parar de usar drogas. Apresentando o panorama internacional das políticas voltadas às drogas em contraponto com o atual cenário do consumo de drogas no Brasil.

 

James Kava é formado em Química, Integrante da Marcha da Maconha Curitiba; Educador Social no Centro Social Propulsão, Redutor de Danos e um dos desenvolvedores do Reaja

Fabiano Soares é químico e há cinco anos colabora na organização da Marcha da Maconha Curitiba. Atualmente é aluno do Programa de Pós Graduação em Química (PPGQ) na UFPR, seu projeto de mestrado tem com objetivo de analisar por cromatografia gasosa a composição de extratos de cannabis utilizados para fins medicinais.

Oficina ocorrerá pela tarde, das 14:00 às 16:00

 

3. Prof. MSc. Rafael Viegas: Ciência Política e Instituições Jurídicas

tem como objetivo apresentar de modo sumário a agenda de pesquisas sobre perspectivas teóricas e modelos de análise empírica de ciência política sobre as relações entre a esfera política e a esfera judicial tratada nos recentes encontros da Área Temática "Política, Direito e Judiciário" da Associação Brasileira de Ciência Política (ABCP) e do Grupo de Trabalho 21- "Os Juristas na Sociedade: Conflitos Políticos e Sentidos do Direito" da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais (ANPOCS).

 

 

O Prof. MSc. Rafael Viegas é Graduado em Direito pela Faculdade Estadual de Direito - Universidade Estadual do Norte do Paraná e mestre em Ciência Política pela UFPR. Atua junto ao Núcleo de Pesquisa em Sociologia Política Brasileira (NUSP-UFPR). Filiado à Associação Brasileira de Ciência Política (ABCP) e à Associação Nacional de História (ANPUH). Tem se dedicado à pesquisa sobre: Estado e instituições; controle sobre a burocracia; recrutamento político; política brasileira e sistema de justiça; Ministério Público brasileiro.

A oficina ocorrerá pela tarde, das 16:00 às 18:00

OFICINAS: Dia 09/11 - Quinta-Feira

1.Prof. MSc. Marcelo Bordin: Análise Criminal e direitos humanos: interfaces possíveis na segurança pública brasileira.

Tem como objetivo de avaliar o avanço da tecnologia, cada vez mais temos acesso a dados estatísticos dos mais variados. No campo da segurança pública temos casos de sucesso mas também observamos casos em que os dados são considerados sigilosos. O objetivo desta oficina é discutir a análise criminal e seus impactos no tocante aos direitos humanos no Brasil.

Será ministrada pelo Prof. MSc Marcelo Bordin

Com participação do Prof. MSc. Aknataon Toczek Souza

Marcelo Bordin é Doutorando em Sociologia pela UFPR, Mestre em Geografia pela UFPR (2010), Bacharel em Ciência Política pela Faculdade Internacional de Curitiba (2005), Licenciado em Geografia pela Universidade Federal do Paraná (2000), Especialista em Sociologia Política pela Universidade Federal do Paraná (2004) e Especialista em Saúde Pública no Instituto Brasileiro de Pós Graduação e Extensão (2008). Frequentou o curso de aperfeiçoamento Impactos da Violência na Saúde da Fio Cruz (2007), financiado pelo Ministério da Saúde. Atualmente Policial Militar do Estado do Paraná, prestando serviços na Coordenadoria de Análise e Planejamento Estratégico como Analista Criminal. Atua também como Coordenador e Pesquisador voluntário no Laboratório de Estudos Sobre Polícia do Centro de Estudos em Segurança Pública e Direitos Humanos da Universidade Federal do Paraná. Tem experiência na área de Geografia, com ênfase em Geografia Urbana, atuando principalmente nos seguintes temas: criminalidade, polícia militar, militarização, hipermilitarização, violência, criminologia, segurança pública, vitimização, polícia, racismo, cidade, violência e urbanização.

A oficina ocorrerá pela manhã das 09 às 11:00

 

2. Prof. MSc Wander Wilson e  Profa. MSc Aila Vilela Bozan - Variações etnográficas: possibilidades de uma antropologia de nós mesmos.

Wander Wilson é Doutorando em Antropologia pela Puc-SP e Mestre em Ciências Sociais pela Puc-SP com a dissertação "O Comissário do esgoto: coragem da verdade e artes da existência na escritura-vida de William Burroughs", orientada por Dorothea Voegeli Passetti. Membro do Núcleo de Estudos Interdisciplinares Sobre Psicoativos (NEIP). Pesquisa, por meio da antropologia e das Ciências Sociais, os temas: Arte, drogas, estética da existência e práticas anarquistas.

Aila Vilela Bozan Possui mestrado em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2013) e graduação em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2009). Tem experiência na área de Antropologia, com ênfase em Etnologia Indígena, atuando principalmente nos seguintes temas: povos ameríndios, arte indígena, antropologia política e fundamentos da sociologia.

Essa oficina pretende demonstrar que a etnografia aparece como forma de pesquisa em um dos começos da antropologia. Esta abordagem parte de vivências, experimentações e relações de afeto em um trabalho de campo para dele extrair certo tipo de tradução, sempre experimental. No início desta empreitada partia-se para observar o que se convencionou chamar de “a cultura do outro”, isto é: povos ameríndios, melanésios, africanos ... No entanto, hoje, já existe uma tradição do pensamento que experimenta trabalhar com estas relações em meio a “nós mesmos”, pensando quais as possibilidades de produção desse pensamento. Nesta oficina iremos traçar brevemente a história da prática para discutir temas como: Pesquisa empírica e localidade de pesquisa, traição, equívoco, autoridade daquele que escreve sobre quem escreve, e, como pensar os espaços contemporâneos relativos ao Estado, a Política e o Direito. É preciso Etnografar um tribunal para falar de direito?

 

Essa oficina ocorrerá das 14:00 às 18:00

OFICINAS: Dia 10/11 - Sexta- Feira

1.Prof. MSc Rudy Heitor Rosas: Estudo de caso na área criminal

 

O objetivo da oficina é propiciar uma troca de experiência sobre a pesquisa empírica no Direito, com recorte mais específico ao Estudo de Caso. Compreendido de forma equivocada em alguns meios, o estudo de caso é uma metodologia complexa e está muito além da técnica utilizada em sala de aula, não é somente trazendo um caso para discussão que está sendo implementada a metodologia. Ela é indicada para tratar de fenômenos contemporâneos e complexos e, por conta disso, exigegrande rigor por parte do pesquisador. A oficina está assentada sobre a experiência do mediador com essa metodologia em pesquisas qualitativas. Outro objetivo é demonstrar como essa metodologia pode ser aplicada a casos múltiplos e que contenham casos menores dentro de si, desmistificando um pouco o que o próprio nome leva a crer. Também é extremamente rica a combinação do Estudo de Caso com outras metodologias e outras técnicas metodológicas, fato que será demonstrado através de resultados de pesquisa já obtidos.

 

Doutorando em Direito pela Universidade Federal do Paraná. Mestre em Ciências Sociais Aplicadas pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). Possui graduação em Direito pela Faculdade Campo Real (2012). Professor da Faculdade Campo Real. Atualmente é advogado - Ordem dos Advogados do Brasil - Seção Paraná. Coordenador de Pós-graduação, Iniciação à Pesquisa e Extensão da Faculdade Campo Real. Coordenador do Grupo de Estudos Contemporâneos em Execução Penal da Faculdade Campo Real. Tem experiência na área de Direito, com ênfase em Criminologia e Execução Penal, atuando principalmente nos seguintes temas: justiça restaurativa, trabalho prisional, modelos contemporâneos de justiça criminal e representações sociais da violência.

 

A oficina será pela manhã das 9:00 às 11:00 horas.

 

2. Prof. MSc Felipe Bueno do Amaral:  Epistemologia ambiental e algumas perspectivas metodológicas: implicações práticas para os processos decisórios da vida social

 

Nessa oficina vamos discutir como são forjados os chamados “panos de fundo” do pensamento moderno que gerou aquilo que convencionamos chamar de crise ambiental, ou seja, vamos nos aproximar epistemologicamente dos fundamentos práticos que motivam nossos sentidos de ação social. Aqui vamos apreender esta distinção correntemente categorizada como “separação entre Cultura e Natureza” e entender as suas redes de implicações. Nessa direção, buscarei demonstrar algumas pesquisas práticas que realizei durante meu processo de formação esperando dar um sentido real e conectando assim ideias.

Doutorando em Sociologia na Universidade Federal do Paraná (UFPR). É Mestre em Sociologia pela UFPR e Gestor Ambiental pela Universidade do Oeste de Santa Catarina (UNOESC). Pesquisador discente do grupo de pesquisa Epistemologia e Sociologia ambiental e membro do conselho editorial da revista discente Sociologias Plurais do Programa de pós-graduação em Sociologia da UFPR. Trabalha com os temas: Teoria sociológica e Natureza.

 

Oficina ocorrerá pela tarde, das 14 às 16 horas

 

 

OFICINA ESPECIAL: com lançamento de livros – das 16 às 18 horas

 

Prof. Dr. Pablo Ornelas Rosa: Pesquisa empírica na segurança pública e direito penal

Com a participação dos professores: Prof. MSc Aknaton Toczek Souza e Prof. MSc Décio Franco David


Com lançamento de livros das 18 às 20 horas

 

A oficina tem como objetivo articular discussões epistemológicas e metodológicas das ciências sociais na pesquisa da segurança pública e direito penal, utilizando uma perspectiva empírica das experiências como pesquisador e orientador das pós-graduações stricto sensu em segurança pública e sociologia política. Oferecendo ao participante uma conversa sobre como pensar, projetar e realizar pesquisas empíricas no âmbito da justiça criminal, processos de criminalização e os processos de sociabilização que envolvem essa dinâmica. 

A oficina contará com a participação dos professores Prof. MSc Aknaton Toczek Souza e Prof. MSc Décio Franco David permitindo um diálogo das pesquisas em comum e o desenvolvimento de novas, propiciando uma experiência única ao aluno do processo de artesanato intelectual e imaginação sociológica para a pesquisa empírica.

 

Após, a oficina, teremos lançamento de livros.

A oficina ocorrerá no Espaço PG, localizado na Rua Theodoro Rosas, 1200, Centro.

 

Pablo Ornelas Rosa Realizou estágio Pós-Doutoral em Sociologia na Universidade Federal do Paraná - UFPR (2014), Doutorado em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUC/SP (2012), Mestrado em Sociologia Política (2008) e Bacharelado em Ciências Sociais (2005) pela Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC. Professor Titular I nos Programas de Pós-Graduação em Sociologia Política (Mestrado Acadêmico) e em Segurança Pública (Mestrado Profissional) da Universidade Vila Velha - UVV. Professor convidado no Programa de Mestrado Profissional em Ciência, Tecnologia e Educação na Faculdade Vale do Cricaré - FVC. Professor convidado no Curso de Especialização em Criminologia no Centro de Ensino Superior de Vitória - CESV. Tem experiência na área de Sociologia Política, desenvolvendo pesquisas sobre drogas, juventudes, criminalidades, segurança pública, políticas públicas em saúde, governamentalidades, biopolítica, racionalidade neoliberal e anarquismos. Coordena o Grupo de Pesquisa em Subjetividade, Poder e Resistências - GESPOR (PPGSP/PPGSPo/UVV), participa do Grupo de Pesquisa em Segurança Pública (PPGSPo/UVV), Núcleo de Estudos da Juventude Contemporânea - NEJUC (PPGSP/UFSC), Saúde do Corpo, Gênero e Gerações (PPGS/UFMT) e Grupo de Estudos em Segurança Pública e Direitos Humanos - CESPDH (PPGS/PPGD/UFPR) e Centro de Estudos e Pesquisas sobre Alcool e outras Drogas - CEPAD (PPGASC/UFES). É autor dos livros "Rock Underground: Uma Etnografia do Rock Alternativo" (Radical Livros, 2007), "Juventude Criminalizada",(Ed. Insular, 2010; 2013), "Sociologia Política" (Ed. IFPR, 2013) em co-autoria com Rodrigo Guidini Sonni, "Drogas e a Governamentalidade Neoliberal: Uma Genealogia da Redução de Danos"(Ed. Insular, 2014) e organizou com Rosângela de Sena e Silva "Juventude, Ativismo e Redução de Danos" (Ed. Casa/ Ministério da Saúde, 2010), organizou com Beatriz Labate, Frederico Policarpo e Sandra Goulart o livro "Drogas, Políticas Públicas, Consumidores (Ed. Mercado de Letras, 2016) e organizou o livro "Perspectivas em Segurança Pública" (Ed. Insular, 2016) com Humberto Ribeiro Junior, Luciana Borges e Pablo Lira, além de publicar artigos científicos em revistas especializadas, assim como capítulos de livros.

Aknaton Toczek Souza é doutorando em Sociologia na Universidade Federal do Paraná onde é aluno bolsista (CAPEs); é mestre em Sociologia pela Universidade Federal do Paraná. possui graduação em Direito ; especialista em Sociologia Política pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), especialista em Direito Penal e Criminologia do Instituto de Criminologia e Política Criminal - Universidade Federal do Paraná (ICPC/UFPR). Possui experiência na área de Direito Publico, com ênfase em Direito Penal e Sociologia do Crime, atuando principalmente nos seguintes temas: Teoria do Delito e Sociologia do Crime. É pesquisador do Centro de Estudos em Segurança Pública e Direitos Humanos - CESPDH/UFPR. Pesquisador colaborador da Universidade Vila Velha no Grupo de Pesquisa em Subjetividade, Poder e Resistências. É professor de Direito Penal parte geral, direito penal parte especial e criminologia; Tem como temas de pesquisa: controle social; drogas; segurança pública; e sociologia do crime.

Décio Franco David é Doutorando em Ciência Jurídica pela Universidade Estadual do Norte do Paraná - Linha de Pesquisa: Função Política do Direito (início em 2016). Mestre em Direito Penal pela Universidade de São Paulo (2016). Mestre em Ciência Jurídica pela Universidade Estadual do Norte do Paraná - Linha de Pesquisa: Função Política do Direito (2014). Pós-graduado em Gestão de Direito Empresarial pela FAE Centro Universitário (2009). Graduado em Direito pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (2008). Professor Professor Substituto de Direito Penal da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Professor de Direito Penal da Faculdade de Educação Superior do Paraná (FESP). Professor de diversos cursos de Pós-graduação (lato sensu) em Direito Penal e Processual Penal . Membro do conselho editorial da Revista Brasileira de Ciências Criminais (RBCCRIM). Membro do Conselho Editorial da Revista Liberdades do Instituto Brasileiro de Ciências Criminais. Membro do Conselho Editorial do Boletim do Instituto Brasileiro de Ciências Criminais. Diretor Executivo Adjunto do Instituto Brasileiro de Direito Penal Econômico (IBDPE). Advogado.